Guia para entrevistas remotas: como se preparar

homem numa entrevista remota com fones

As entrevistas remotas estão aqui para ficar. Definitivamente. Apesar das suas muitas vantagens, podem também trazer alguns desafios. Uma boa preparação é chave em muitas situações do nosso dia a dia e o mesmo se aplica neste contexto. Neste artigo, partilhamos algumas dicas importantes para uma boa experiência de entrevista, qualquer que seja a plataforma. 

Quer sejam recém licenciados ou tenham largos anos de experiência no mercado, a maior parte dos candidatos que procuram emprego hoje passam por algum tipo de entrevista. Muito provavelmente essa entrevista será remota, já que este formato reúne muitas vantagens como acesso a uma pool de candidatos mais extensa (podem estar em qualquer parte do mundo, na cidade ou no campo), facilidade em  agilizar com o horário de trabalho, ser menos demorado e mais amigo do ambiente, pois evitam-se deslocações e horas no trânsito. Para além disso, o candidato sente-se mais confortável no seu espaço e tem mais possibilidades de se preparar. 

Contudo, muitos são os perigos a que estes podem estar sujeitos e não se aperceberem até ser tarde, como esquecerem-se que se estão em mute ou terem um filtro colado na cara e não se aperceberem. Adicionalmente, os candidatos ficam impedidos de conhecer o espaço físico da empresa, potenciais colegas de trabalho e de terem uma noção mais concreta da cultura da mesma. 

Sempre com o mote de que a preparação é o passo mais importante, partilhamos algumas dicas sobre o que se deve (ou não) fazer durante uma entrevista remota, para que algumas destas desvantagens consigam ser ultrapassadas e para que haja uma boa experiência de entrevista para ambas as partes:

Organiza o espaço 

Prepara um local limpo e arrumado

Uma vez que certas pistas sociais se perdem numa entrevista virtual, o espaço e o ambiente criados ganham uma nova importância na forma como os candidatos podem transmitir uma boa impressão. Encontrar um canto que seja simples e sem distrações é um dos primeiros pontos a ter em consideração. 

O ideal é arranjares uma parede branca ou com um tom neutro. Desta forma, a atenção dos recrutadores estará focada em ti e não no que se passa ao teu redor. Ter um background desarrumado ou pouco cuidado, poderá ainda pesar negativamente na avaliação do recrutador. Se não tiveres a possibilidade de utilizar uma parede mais neutra, experimenta colocar um fundo virtual ou um filtro que desfoque o background. Se optares pela primeira opção, um fundo relacionado com escritórios é o mais indicado e apreciado pelos recrutadores

Também o teu aspeto é um passo a considerar. Apesar de nas entrevistas remotas ser possível usarmos roupa formal em cima e pijama em baixo, o objetivo será sempre passar um aspeto profissional. Não quer isto dizer que se tenha de utilizar um blazer se não fizer sentido, mas a ideia será sempre controlar a ilusão que transmitimos de nós, através do ecrã. 

Ajusta a iluminação e o som 

Como já vimos, transmitir uma boa imagem é fulcral e, para isso, é importante que quem está a entrevistar consiga ver bem o candidato. Durante a entrevista procura ter uma fonte de iluminação que projete luz de frente, quer seja uma janela ou um candeeiro (nestes casos uma luz mais fria é o indicado). 

Muitos candidatos, na hora da entrevista, ficam atrapalhados porque não conseguem ouvir o recrutador ou não se fazem ouvir a si próprios. Até o problema ficar resolvido, muitas vezes passam-se minutos preciosos. Para que isto não aconteça, deves fazer  um teste antes da entrevista para teres a certeza que o som está a funcionar e que utilizas uns bons fones, já que estes ajudam a que o som tenha mais qualidade para o interlocutor.  

Cuidado com a internet

Quando a entrevista é agendada, normalmente recebes um convite ou uma conta que deves adicionar numa determinada plataforma onde esta se irá realizar. Se não conheceres a plataforma escolhida, procura explorá-la antes da entrevista e familiarizar-te com a mesma, principalmente se tiveres de usar alguma funcionalidade como partilha de ecrã. 

Deverás também ter em atenção a conexão à internet. Escolhe um local onde saibas que a ligação é boa ou onde possas ter uma alternativa caso a mesma falhe. O ideal é mesmo fazeres um teste à velocidade da internet antes da entrevista (sugerimos este). 

Convém ainda ter um meio alternativo para contactar o recrutador caso haja algum problema na altura da entrevista. Assim, irás demonstrar proatividade e preparação. No entanto, deves tentar sempre que a entrevista seja realizada através de um computador (com a bateria cheia!), já que por telemóvel poderá causar outros problemas e dar um aspeto menos profissional. 

homem em entrevista remota com um computador branco e fones

Prepara o inesperado

Pratica antes da entrevista

Estar confiante é muito importante e para isso sentires-te preparado é fundamental. Experimenta pensar em certas questões que te podem fazer acerca da tua experiência profissional ou académica e como as podes responder. Coloca-te mesmo na pele do recrutador e pensa se o tipo de respostas que dás são esclarecedoras. Se tiveres alguma gap no CV ou se até tiveres demorado mais do que o “normal” a terminar algum curso ou formação, procura a melhor forma de os explicar. 

Para além das questões mais técnicas e relacionadas com a oportunidade em questão, aqui ficam alguns exemplos de perguntas que podes encontrar e para as quais te deves preparar: “O que te vês a fazer dentro de 5 anos?”; “Que valor irás acrescentar ao projeto?”; “Por que te devemos escolher?”. 

É ainda importante que estejas familiarizado com a tua experiência. Por vezes os candidatos ficam confusos com o seu percurso ou já não se lembram do que fizeram em determinadas experiências, o que pode transmitir uma imagem menos positiva. Se apenas contares com a experiência académica, prepara-te para falares sobre alguns projetos nos quais tenhas participado. 

O modelo remoto possibilita que mantenhas um documento com notas durante a entrevista. Aproveita esta vantagem para teres o teu CV aberto e ires vendo o que o recrutador também vê ou prepara mesmo alguns pontos sobre os quais irás querer falar, mas sem nunca transmitires que estás a ler. 

Poderá ainda ser importante conheceres bem a empresa e a área de negócio da mesma. Fica sempre bem demonstrares que tiraste tempo para pesquisar e que estás por dentro daquilo que se faz na organização. 

Mindset positivo 

Cada entrevista é uma experiência diferente. Portanto, mesmo que não fiques com o lugar, vais sempre tirar algo positivo com este contacto. É nisto que deves pensar e focar-te em tirar o maior proveito da conversa. Ter um mindset positivo é meio caminho andado para que o stress e os nervos não te atrapalhem. 

Os recrutadores reparam  na forma como ages quando não estás confortável com algum tema. Neste sentido, se esta situação acontecer, tenta manter-te calmo/a e transmitir humildade, já que assim irás criar empatia com quem está do outro lado. 

Cria empatia

Demonstra interesse 

Os candidatos com mais sucesso nas entrevistas são aqueles capazes de criarem uma relação com os recrutadores. Para isso, uma conversa natural e fluida é fundamental, já que vai associar uma memória positiva àquele contacto.

 Neste sentido, procura demonstrar um interesse genuíno na entrevista e na vaga em causa, fazendo questões sobre a mesma. Podes tentar perceber como é a cultura da empresa, como se adaptaram às novas realidades, qual o processo de onboarding, o que é esperado do candidato ideal para a vaga, entre outras. 

Fazer perguntas é ótimo, mas tem atenção aos temas que abordas. Não foques as tuas questões somente nos benefícios ou no escritório. Procura também perceber o tipo de tecnologia com a qual terás de trabalhar, a metodologia adotada ou como o teu desempenho será avaliado. 

Tirar notas durante a entrevista é um bom hábito a adoptar. Desta forma estarás a mostrar que és uma pessoa proativa e será ainda uma forma de organizares os teus pensamentos e pensares em questões que poderás ter sobre a vaga. 

Um aspeto muito importante é o desligar previamente as notificações dos teus dispositivos, já que irão criar uma fonte de distração. Não convém também desviares muito o olhar do computador, pois dará a sensação de que não estás investido na conversa em questão. Ah e nunca, mas nunca, entres numa entrevista a mascar pastilha elástica! 

homem em entrevista remota com outro homem e um livro na mesa

Partilha a tua paixão

Maior parte dos hiring managers e recrutadores adoram candidatos que demonstram ter paixão por aquilo que fazem. Nas entrevistas, não te deverás focar em apenas enumerar o que fizeste, mas também em explorar o porquê, ou seja, as tuas motivações. Procura pensar porque escolheste o teu determinado percurso profissional. 

Partilhar aquilo que escolhes fazer com o teu tempo quando não estás a trabalhar e como isso se traduz no profissional que és, é também uma forma de revelares um pouco de ti. Espera-se que um bom candidato seja inteligente, trabalhador e que traga resultados, mas um excelente profissional vai mais além. Se és programador e adoras criar sites e explorar novas linguagens de programação nos teus tempos livres, partilha isso! 

Discute os teus hobbies

Aquilo que fazemos nos tempos livres revela muito sobre nós. Uma pessoa extrovertida mais facilmente procurará hobbies onde possa contactar com outras pessoas. Já alguém mais introvertido terá preferência por atividades mais introspectivas. 

Para além disso é uma ótima maneira de te aproximares dos recrutadores ao revelares um pouco mais sobre quem és para lá do mundo profissional. Se partilharem os mesmos gostos, melhor ainda (são pontos extra na empatia)! 

Sê honesto

Ninguém nasce ensinado e ninguém é capaz de saber tudo sobre determinado assunto. Claro que quem recruta quer um candidato completo e que consiga começar logo a trazer valor à empresa. Contudo, um profissional completo não é apenas alguém que está cheio de conhecimento técnico. Cada vez mais, as soft skills diferenciam os bons dos excelentes profissionais. 

Ser capaz de ultrapassar uma situação delicada ou que nos deixa desconfortáveis é algo que os hiring managers também avaliam durante uma entrevista. Se não te sentires confortável para falar sobre um certo tema, a melhor política é sempre ser verdadeiro e admitir que não se está familiarizado com o mesmo. Procura ainda fazer perguntas sobre o assunto em causa, mostrando interesse. Responder “não me lembro” nunca é boa opção, principalmente se terminaste agora um curso superior e foi algo abordado recentemente. 

Por fim, algo essencial em qualquer entrevista é não falar mal de uma experiência anterior. Quando tecemos comentários menos positivos sobre uma experiência passada, um colega ou até um professor, estamos a mostrar o que poderemos vir a fazer à empresa para a qual nos estamos a candidatar. Experimenta, por exemplo,  apenas dizer que não te adaptaste à cultura da empresa.


O nosso papel é ser o elo que liga os melhores talentos aos melhores projetos. Procura um novo desafio? Então, conheça as nossas oportunidades aqui!